Aumento no valor da integração pode tirar passageiros do Metrô

Após decisão de reajustar as tarifas de integração entre ônibus e Metrô/CPTM, o sistema sobre trilhos na capital paulista pode perder ainda mais passageiros.

Com o congelamento da tarifa dos sistemas em R$ 3,80, e o novo valor da integração de R$ 5,92 para R$ 6,80, o passageiro que utiliza o ônibus e o transporte sobre trilhos, pode optar por ficar apenas nas linhas municipais, que por sua vez ganharão mais usuários. Cerca de 3,5 milhões de usuários da integração do Metrô serão afetados com o reajuste.

Esta hipótese vem em um momento em que a companhia do Metrô amargou perda de usuários. O sistema metroviário perdeu 86 mil passageiros por dia entre janeiro e maio de 2016, voltando ao patamar do que era transportado em 2013. A média diária de passageiros transportadas nas seis linhas, incluindo a 4-Amarela e 15-prata, caiu de 4,46 milhões, entre janeiro e maio de 2015, para 4,37 milhões no mesmo período do ano passado. Este cenário, por sua vez deve resultar em queda de até R$ 60 milhões na receita tarifária em 2016.

Bilhete temporal deixa de ser vantajoso em dias úteis

O Bilhete Único Mensal, que dava vantagens a quem usa mais de 38 viagens por mês, vai passar de R$ 140 para R$ 190, um aumento de 35,7%. No entanto, o passageiro que utilizar o bilhete unitário em dias de semana, gastará com a tarifa básica congelada R$ 167,20.

Já o modelo mensal para integração entre ônibus e o sistema de trens e Metrô vai subir de R$ 230 para R$ 300 – reajuste de 30,4%.


Autor: Renato Lobo

Ler todos os posts

Paulistano, Técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

23 Comentários deste post

  1. Que comentário mais tosco hein, a maioria usa integração, e quem paga do bolso ta e lascado, cada uma viu nesse site.

    Rodrigo Santos / Responder
    • A integração é um mal necessário, pois deveriam descentralizar os serviços e as opções de trabalho pelas regiões da cidade. Isso é a solução. Quem paga do bolso recebe pagamento em dinheiro ao invés de vale transporte. Repare que tem mais idosos que outra coisa no metrô pela gratuidade, antes ´dessa lei populista dos 60 anos não tinham tantos pseudo idosos no metrô. A gratuidade aos 65 deve ser apenas os que comprovem que não pagam imposto de renda e outras comprovações para obter tal benefício, Não sou contra ninguém mais tem muito espertinho nesse país.

      ROBERTO / (em resposta a Rodrigo Santos) Responder
  2. Ótimo. em breve tarifa reajustada, por ter menos gente usando o sistema.

    Mario Felipe Rinaldi / Responder
    • Lembre-se o Governador e o Prefeito são do mesmo partido, essa sua conjuntura somente em último caso e mesmo que fosse ao contrário a disputa política não deixaria acontecer uma disparidade muito grande no valor dos modais.

  3. adoraria que nesse pensamento o combustível estivesse uns 15 reais o litro, quer conforto pague. caso contrário se vire

    Alexandre i / Responder
    • R$ 15,00 o litro vc fode os onibus que iriam ter que repassar para a tarifa…..ou em subsídios de bilhões e bilhões…..

      Não adianta querer penalizar o usuário do carro se o transporte publico que o governo oferece é uma MERDA…..

      Renato / (em resposta a Alexandre i) Responder
      • só gasolina, tanto faz eu tava me referindo ao pensamento desse hipócrita Roberto que vem aqui dizer apenas que quer que melhore o viário para o moral dele.. e o resto que se dane… que ande como gado. nem todos pegam transporte público por opção, dizer que tem que aumentar o metro para que o mesmo ande vazio e no conforto enquanto todos se apertam nos ônibus é um comentário bosta e assemelha do assim falei do combustível para os autos que tenho certeza que o foco deste ser é apenas esse… só vem aqui pra soltar groselhas pro carro. tudo que está no viário que não é o santo carro vem aqui comentar essas pérolas.
        e não adianta elitizar o metro e sobrecarregar ainda mais o ônibus.

        Alexandre i / (em resposta a Renato) Responder
    • Quem vai de Uber e outros aplicativos ou de veículo próprio gasta pouco seja pelo serviço ou com combustível e estacionamento, pois o metrô, monotrilho e trens podem estar próximo as suas casas. Por estar próximo a estes serviços pago mais IPTU e por outros serviços.Querem economizar morem próximos ao seu trabalho ou do transporte de massa.

      ROBERTO / (em resposta a Alexandre i) Responder
  4. É infelizmente não são eles que estão sendo prejudicado mas sim os 15 milhões de passageiros de metrô/CPTM/ônibus

    Paulo Neves / Responder
  5. Claro que perdeu usuários….além da crise e do desemprego, as constantes falhas e problemas nas linhas do metrô estatal fizeram boa parte daqueles que deixaram de usar o metrô (ou trocaram por outros modais como carro/moto/onibus ou até bike…

    posso falar por mim: Troquei pela bike, pois cansei de levar advertência no trampo por chegar atrasado, mesmo saindo bem mais cedo por conta de problemas nas linhas 1 e 2. Pelo menos cancelei o VT na empresa e não tenho mais o desconto de 6% no holerity e ainda fico em forma….

    Ainda uso o metrô….mas só em dias de chuva ou qdo a magrela dá problema e olha lá. Só não troquei pela moto pq tive que vender ela para pagar as dividas, senão, com esse aumento abusivo

    E qdo vou de metrô, deixo a magrela no bicicletário lá da praça dos arcos na esquina com a consolação e pego a linha 4 direto, só para não ter que encarar a lerdeza da linha 2…

    Agora o PSDB vai e tira a vantagem do temporal, indo na contra mão das outras cidades que também dão descontos para trabalhador que usa todos os dias, como Toquio, Londres, Paris e outros…

    O certo era fazer como faziam antes: aumentava todos os anos, mas era aumento pequeno, de 0,15, 0,20 centavos….

    Enquanto verem o transporte publico como despesa e não como solução para ajudar a reduzir os congestionamentos, a poluição e os acidentes, a crise pode passar, mas o metrô continuará perdendo usuários, se continuar com essa inércia e esses serviços toscos, parecendo a CPTM . . .
    Com a integração onibus x metrô muito mais cara, muita gente vai deixar de usar o metrô pq sinceramente: desconto de apenas 0,80 qdo o cara pode usar até 4 onibus pagando apenas 1 tarifa? se pode pagar R$ 3,80, pq vai pagar 6,80, o que dá 6 reais a mais ida e volta?

    Quem puder vai mandar para a merda mesmo e migrar para o carro/moto!

    Renato / Responder
  6. Votaram no PSDB, levou na raquete kkkkkkkk

    Robson / Responder
  7. Se eu pudesse mesmo, eu andaria de moto ou carro, pq as linhas de ônibus onde pego, não respeita em nada seu horário de partida que deveria ser de 20 minutos ao invés disso, fazem em 40 (detalhe: mesmo sem trânsito). Já que reclamar, mesmo que todos os dias a SPTrans, não resolve absolutamente nada. Financeiramente, dependendo da distância, compensa a compra e manutenção da moto, do que andar de busão e ou metrô. Nossos governantes PSDB, não investem como deveria em transporte público, sucateiam de tal forma que incentiva de forma indireta a compra de automóveis.

    Amaury / Responder
  8. olha é simplesmente mais um abuso das autoridades que pensam poder continuar à explorar o contribuinte o povo em geral, isto é um absurdo! na França onde o salário mínimo é de 1200 euros o bilhete único mensal que dá acesso à todos os meios de transporte existentes!, custa 58 euros ( e quando o contribuinte está desempregado e/ou recebendo alocações, ou ainda casos especiais onde a pessoa não possui as condições normais para poder pagar a tarifa oficial, aí a pessoa vai pagar pelo mesmo serviço apenas, 18 euros ! )
    Vejam bem aqui não interessa o valor cambial, e sim a proporção em valores absolutos das quantias, ou seja, lá, na França (Paris, Marseille, Lyon, etc…) as pessoas devem desembolsar de seu dinheiro uma proporção muitas vezes inferior ao que deve fazer aqui no Brasil, para as mesmas utilizações E mais lá os sistemas são melhores e mais adaptados! mas isto já é outro assunto…! Agora me diga como é que pode um trabalhador ( nem vamos falar daqueles que nem tem trabalho por razões as mais diversas…idade de escolaridade, anciãos, aposentados, deficientes, etc e tal…!), pois bem essa pessoa ganha na sua imensa maioria, cerca de mais de 80% da população laboral, apenas e arredondando, 800 reais…!, ora essa mesma pessoa vai ter que desembolsar de seu (magro!) salário, 300 reais…????! isto é uma ignomínia! uma aberração um descalabro! uma infâmia, uma injustiça! realizada pelo Estado e contra o povo! O pior é que não há necessidade disto! NÃO! Pois se podem fazer corretamente como na França e em outros países dignos, porque não poderiam fazê-lo na principal cidade deste país? porque? Afinal São Paulo esta entre as 10 cidades mais ricas do planeta!!!!!!!! Ora essa gente que diz ‘governar’ as nossas vidas de cidadão, estão na verdade somente se locupletando e além disto mostrando uma total e absoluta
    incompetência :(

    josé emidio lafani pinto / Responder
  9. Que bom.
    Eu esperava que este novo governo cortasse o subsidio gigantesco ao transporte publico e aplicasse em outras prioridades… ainda não foi desta vez. A passagem na verdade custa mais de 6 reais.

    fabio / Responder
    • Segundo pesquisas do metrô e de outros institutos de mobilidade ativa, 60% dos usuários do metrô tem carro.
      Segundo tua premissa, para acabar com os subsídios, aumenta a tarifa para R$ 15,00, cancela todos os beneficios do Bilhete único e o proprio bilhete tb, pois tem um custo para manter esse bilhete e voltemos a pagar em dinheiro.

      Ah, claro que com passagem a R$ 15,00, os 60% dos usuários do metrô que tem carro voltariam para o carro e o transito ó……ficaria 60% pior.

      Dá para ir mais longe ainda, vamos desativar a rede do metrô, afinal custa milhões para manter e é mais barato dar um carro para cada um dos moradores não ficarem a pé e a manutenção do carro fica a cargo de cada morador…..

      imagina a grana que SP vai economizar não tendo que subsídiar e nem arcar com os custos de uma rede de metrô e de onibus?

      Renato / (em resposta a fabio) Responder
    • Sem dúvida.

      ROBERTO / (em resposta a fabio) Responder
  10. Ótima notícia para os usuários de Metrô, menos superlotação e melhora dos serviços, quem pretende economizar vá de BOISÂO, carga sem vida com esses motoristas que parecem estar dirigindo caminhões. Boa sorte. Proporcione muito populismo e depois a conta vem para todos como os idosos que não pagam passagem mais trabalham e recebem vale transporte e os estudantes que os pais podem pagar e usufruem do passe livre. Desse jeito a conta não fecha.

    ROBERTO / Responder
  11. Foi na Gestão passada que diz que os ônibus diminuíram o que??? Aumentaram os engarrafamentos, poluição, diminuíram o percurso de várias linhas para chegar ao centro, aumentaram os subsidio ao transporte coletivo em detrimento de outras Secretarias que tem falta de recursos como a saúde, implantação sem estudo de faixas de ônibus e ciclovias (tinteiro), falta de limpeza e conservação da História da Cidade entre outros. Quanto ao comentário acima apenas digo e afirmo que a pseudo gratuidade é um câncer as pessoas que só querem ter as coisas através do orçamento Público, Lembro aos acomodados que tem de conservação e pagar tributos pelos seus bens. Querem moradia, transporte, água, luz, internet, praticamente tudo sem precisar pagar nada. Esse é o País da Alice.

    ROBERTO / Responder
  12. Afirmo a qualidade do BOISÃO é péssima, motoristas stressados, sendo que muitos usuários estão com problemas na coluna e outros pelas freadas bruscas desses profissionais.

    ROBERTO / Responder
  13. Não acho que haverá tanta queda nos trilhos assim. A preocupação das pessoas parece mais partidária do que com o transporte/tarifa em si. No caso do bilhete temporal, para quem usa transporte além da ida e volta para o trabalho, continua valendo a pena, sobretudo para quem usa na modalidade trilhos que nunca permitiu usar mais de uma vez na mesma passagem. E outra, na Gestão Haddad já haviam limitado o uso do bilhete a 15 embarques por dia. Falamos muito da corrupção por parte dos políticos, mas esquecemos da corrupção popular. Me refiro a “venda” de passagens nas estações do Metrô e CPTM por portadores de bilhetes temporais ou uso irregular, como uma vizinha que a família toda utiliza o bilhete no decorrer do dia. O molho acaba saindo mais caro que o peixe quando colocam em prática algum benefício para a população. Tem que se investir em tecnologia e funcionários para fiscalizar o uso correto do benefício. O mesmo acontece com o VT, VR…
    Um Agente de Segurança da CPTM pediu para ver meu bilhete e documentos na linha de bloqueios da Estação Barra Funda esses dias. O mesmo agente poderia estar combatendo delitos e camelôs nos trens, por exemplo. Aí o que se faz? Contrata mais e aumenta a folha de pagamento e consequentemente o custo? As medidas populistas em razão a tarifas acontecem pelo desejo popular em ter vantagem. Tem muita coisa que precisa ser revista. O mesmo senhor de 60 anos que não pode pagar a passagem e tem direito aos assentos azuis e amarelo, paga a fantasia e desfila horas em pé no carnaval. Então pagamos por essas cortesias oficiais ou pelos calotes que dão em VT e bilhetes temporais.

    Narciso de Queiroz / Responder
  14. Tudo isso é para valer a política e deixar de lado a honestidade com a população.

    A política de ter prometido mundos e fundos durante a campanha, mas não poder cumprir. Se houvesse honestidade com a população, os governantes se abririam: “pois é, as contas são essas e o valor da passagem deve ser esse daqui”. Como o joguinho político tem que continuar, a gente resolveu o seguinte: “a gente não aumenta, mas diminui o desconto de quem pega integração ou BU Mensal – não, não é aumento, meu caro repórter!”.

    Alex / Responder
  15. Vendo alguns comentários, da pra ver porque um governador se reelege, sem dar nada em troca, a mais de 20 anos, o povo sendo morto, roubado, sendo tratado como gado no transporte, e etc, que lindo que esta PS, SQN.

    Rodrigo Santos / Responder

Deixe uma resposta para lia Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*