Alckmin suspende reajuste em integração

Após ser enfim notificado pela justiça sobre a liminar que pedia a suspensão no reajuste da integração entre ônibus e Metrô/CPTM, o Governador Geraldo Alckmin decidiu revogar os aumentos.

A suspensão, no entanto, não será imediata. Ainda cabe ao governo a repassar a decisão as gerenciadoras dos transportes.

O tribunal de Justiça ainda negou pedido do governo do estado contra a liminar que pede a revogação do aumento.


Autor: Renato Lobo

Ler todos os posts

Paulistano, Técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

26 Comentários deste post

  1. Chupa santinho

    Gapre / Responder
    • E você vá pra NIGÉRIA, país de miseráveis e que entrega todos os seus bens pra abutres exploradores que nem seus ídolos de barro estão fazendo com o Brasil

      Gapre / (em resposta a Gapre) Responder
  2. Queria saber se o governo de SP fosse do PT, haveria essa demora? Ta esquisita essa demora, não acham??

    Joel / Responder
  3. o nosso querido governador não anda de metrô ônibus

    Elcio Vieira Henriques / Responder
  4. Acabei de ver que o TJ manteve a decisão em primeira instância, até citou o que já era óbvio e ninguém queria dizer, que “faltou detalhamento técnico para a medida” Tão bom ver esses momentos de quando a Justiça trabalha rapidamente e a favor do povo!

    Se for reajustar tarifas, que seja de forma clara, legal e não na calada da noite em manobra jurídica. E não achar um “jeitinho” apenas porque o afilhadinho fez uma promessa inviável e tbm não quer ser boicotado na próxima eleição.

    O.Juliano / Responder
  5. Doria Jr. prometeu algo que não poderia cumprir e Alckmin tentou um jeitinho para ajudar o afilhado político. Que faça corretamente da próxima vez, com critérios técnicos e sem gambiarras e “joguinhos” de palavras.

    Ado Silva / Responder
  6. Para atender um pedido político do PT, que visa apenas prejudicar o governador Geraldo Alckmin, o Tribunal de Justiça de SP pode provocar aumento das tarifas de transporte para toda a população. O congelamento das passagens unitárias decidida pelo governo de SP beneficiaria a maioria dos usuários. Em benefício de uma minoria, a Justiça desorganiza todo orçamento do Estado.

    Welbi Maia Brito / Responder
    • Chora mais, assessoria. Passagens unitárias congeladas beneficiaria a maioria?? Que maioria é essa que só paga uma única passagem por dia que eu não conheço???? Sabia que metrô e cptm tem abrangência pífia na RMSP e que, por isso, as pessoas, principalmente as mais pobres, precisam pegar ônibus pra chegar até os trens e que esse aumento prejudicaria essa maioria, a verdadeira maioria, que precisa pegar mais de uma condução??

    • “CONGELAMENTO”, “reserva técnica”,… o prol para a população é enfiar o nabo nela e tudo bem. é promessa de campanha malfeito e vai ficar feio aumentar. só descumpri e aumenta corretamente ao invés de prejudicar quem precisa de integração e prejudicar a todos no geral com o aumento do subsídio. ou que faça o que prometeu disse que ninguém sabe administrar isso, que faça uma negociação fantástica com os donos das cias e reduza o subsídio e consiga congelar a tarifa, não tirar de um lado para cobrar de outro e ainda aumentar o subsídio.

      Alexandre i / (em resposta a Welbi Maia Brito) Responder
      • Esse cidadão Welbi é assessor de imprensa do governador ou do partido? Você passa em vários sites e blogs e sempre onde tem reportagens citando Alckmin tem comentários desse Welbi.

        Ado Silva / (em resposta a Alexandre i) Responder
        • Esse cidadão é um blogueiro tucano, procurei o nome dele no site do diário oficial e encontrei várias menções a ele como “assessor” em gestões tucanas, ou seja, esse cara é um aspone, vive de puxar saco.
          O pior de tudo é que é pago com o nosso imposto.

          rafael oliveira / (em resposta a Ado Silva) Responder
          • Blogueiro chapa-branca e assessor comissionado, agora está explicado. Obrigado pelas informações, Rafael.

            Ado Silva / (em resposta a rafael oliveira)
      • Acho que além de reajustar a tarifa ainda deveria acabar com uma série de isenções de pagamentos. Chega de um monte de isenção , principalmente de IPTU para quem pode pagar, transporte para quem pode pagar etc…Quando todos pagam, todos pagam menos . Tá cheio de residências com carros, motos, celulares, TV de 500 polegadas etc… e tal e a propriedade isenta de IPTU.Meu pai comprou um terreno em 1958, não tinha asfalto, luz eletrica, água era de poço etc…mas pagava o IPTU .Um politico, prefeito querendo ser mais demagogo que outro, começaram a isentar 50.000, depois outro prefeito isentou 100 mil e assim sucesdivamente, hoje tem mais de 200 mil isenções, mesmo o imovel tendo todos os beneficios de infraestrutura.

        Felix / (em resposta a Alexandre i) Responder
        • “quando todos pagam todos pagam menos” já parou pra pensar que nem todos ganham o mesmo salário pra pagar a mesma coisa de IPTU por exemplo? Já constatou que nem todos os bairros tem a mesma infraestrutura pra ser cobrado o mesmo valor de IPTU? Uma coisa eram as necessidades das pessoas e o tamanho da cidade em 1958, outra coisa beeeem diferente do que é hoje. E dependendo do bairro que vc estiver falando eu considero justo sim que não pague esse imposto. Detalhe: eu pago IPTU no meu

          Gapre / (em resposta a Felix) Responder
          • Gapre infelizmente com vc não tem jeito, vc gosta de entender da maneira que lhe convenha, vc está mais para politico do que comentarista de blog, não deveria mas sou persistente para tentar explicar o que escrevo . Não disse que todos pagarão a mesma coisa, isdo saiu de sua cabecinha, evidentemente que quem mora nos Jardins, Morumbi etc.. e em Casaroes irão pagar muito mais de quem mora na periferia nu terreno de 150 m2, ou quem mora num apartamento de duplex ou Triplex vai pagar a mesma coisa que uma pesdoa que mora em Kitinet, mas todos pagariam menos, proporcionalmente o valor de seu imovel.

            Felix / (em resposta a Gapre)
          • Felix, mais político aqui (e do PSDB) é você. Caso vc não saiba, esses imóveis que vc citou PAGAM o imposto, cada um com seu devido valor. Os imóveis mais simples e em bairros mais afastados devidamente não tem que pagar. Simples assim. Tá com inveja de quem mora em casebres nos cafundós e não paga IPTU? Vai morar num lugar assim então.

            Gapre / (em resposta a Gapre)
        • em partes concordo, deve ser revisado muito dos benefícios, alguns mal aplicados, outros nas mãos de sábados frauda dores, iptu deve ser de acordo com os serviços da região do bairro e com o valor do imóvel, mas não apenas ter o serviço é sim a qualidade dos mesmos também, cidades e Estados estão muito longe de ter indicadores corretos e confiáveis.

          Alexandre i / (em resposta a Felix) Responder
          • Com certeza, mas a maior queixa do nosso coleguinha coxinha é que existem bairros que tem isenção de IPTU. Se ele tá com inveja de quem não paga IPTU deveria ir morar num bairro assim, oras!

            Gapre / (em resposta a Alexandre i)
          • O Gapre deve ter preguiça de ler, ou se lê não consegue entender, leia novamente onde eu disse que meu pai comprou um terreno em 1958 que não tinha Luz, asfalto, Água era de Poço, banheiro era de madeira sobre uma fossa, no entanto o IPTU era pago por todos que compraram os terrenos em loteamentos.Morei e continuo morando no mesmo bairro, hoje tem toda infraestrutura. O mal do Brasil hoje é o complexo de pobreza, é a vitimização é ter um grupo que só quer que o governo ou os outros resolvam seus problemas.”Quem quer fazer alguma coisa, arruma um jeito, quem não quer fazer nada, arruma uma desculpa”, acho que essa frase cai como uma luva para alguns que espera pelos governo.Vai outra frase “Não pergunte o que o país possa fazer por vc, pergunte o que vc pode fazer pelo seu pais”.

            Felix / (em resposta a Alexandre i)
        • Até concordo que possa haver exagero de isenções de impostos em algumas áreas. No entanto, acho que alguns casos são necessários ou criaríamos um caos social muito maior do que já temos.

          Alex / (em resposta a Felix) Responder
  7. A Congestão anterior não teve a capacidade de realizar certame para diminuir os custos do transporte na cidade de São Paulo e ainda mais, não assinou o contrato com as empresas de ônibus com as premissas do seu Gestor Haddad e Secretario que prefiro não citar o nome. A não assinatura do contrato teve objetivo de comprometer a atual Gestão. Não bastasse isto, o PT ajuizou ação para revogar a majoração das tarifas de transferência entre os modais. Caso não seja revertida a decisão, o lógico é aumentar a tarifa do metrô e da CPTM e em consequência aumentar os outros bilhetes, como mensal e outros. Esse povo gosta de populismo e o que falta é realidade, não existe nada de graça.

    ROBERTO / Responder
    • Mimimi e chororô sem fim

      Gapre / (em resposta a ROBERTO) Responder
    • Populismo quem praticou foi Doria Jr., que prometeu algo que não poderia cumprir e para “consertar” o erro do afilhado político, Alckmin veio com neologismos e “joguinhos” de palavras, “redução de descontos”. E a licitação anterior, que previa diminuição do subsídio as concessionárias, foi barrada pelo TCE do município devido ao tempo de contrato, 20 anos, considerado muito longo. Caberá a Doria Jr. seguir as recomendações do TCE e seguir com a licitação ou relicitar. E realmente não existe nada de graça, bastava o governador aumentar as tarifas do Metrô e CPTM pela inflação como foi feito com a EMTU. Simples assim, como foi sugerido pelo corpo técnico financeiro do Metrô. Sem aumento abusivo, sem aumento de subsídios, sem rombo financeiro e principalmente sem proteção as trapalhadas do afilhado político, afinal de contas ele não é Gestor e “CEO” de São Paulo?

      Ado Silva / (em resposta a ROBERTO) Responder
    • Perfeito, 75% seriam os beneficiados, agora 100% pagarão a conta.Isso é normal no ser humano, na minha vida de Gestor passei por vários exemplos desses, todo mundo fala em solidadriedade, mas na hora de abrir mão, fazer sua parte, neca de pitiritiba.N a empresa que eu trabalhava o 2% turno, 14:00hs as 23:00 hs era liberada mais cedo, terminava a expedição por volta das 22: 25hs os Supervisores podiam libera-los, em torno de 150 funcionários. A equipe das 6:00hs às 14:00 hs, 40 funcionários achava que teria que ter o mesmo direiro, mesmo tendo serviço até o final do expediente, viviam criando caso com a gerência, moral da história, além de não sairem mais cedo ainda prejudicaram quem saia tarde da noite.

      Felix / (em resposta a ROBERTO) Responder
  8. Esse Roberto faz de tudo, pra isentar o PSDB MDS.

    Rodrigo Santos / Responder

Deixe uma resposta para O.Juliano Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*