SP lança consulta para edital de concessão das linhas 5 e 17

O Governo de São Paulo libera nesta quinta-feira, 1º de dezembro, a consulta pública das minutas do edital para a concessão das Linhas 5-Lilás e 17-Ouro, onde repasse a iniciativa privada terá o preço inicial de R$ 120 milhões, com direito de exploração por um período de 30 anos.

“A tarifa pública, que é aquela que o passageiro paga e dá direito às integrações, não muda. Mas esse valor (R$1,69) pagará o operador e não irá onerar o sistema”, disse o secretário dos Transportes Metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni.

Na avaliação do titula da pasta, o preço baixo pode evitar problemas futuros. “A gente poderia cobrar um valor de outorga maior, mas teria de usar uma tarifa maior. Resolveria um problema agora, poderia dar mais receita para o Estado, mas criaria um problema no futuro, com custos maiores para a rede”, afirma.

A licitação deve ser finalizada em abril de 2017.


Autor: Renato Lobo

Ler todos os posts

Paulistano, Técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

40 Comentários deste post

  1. Tomara que não se concretize, já chega de ficar se entregando a iniciativa privada.

    Felipe / Responder
    • E deveria ficar tudo com o Estado, que possui dificuldades até em honrar com a folha de pagamento de seus funcionários?

      Gustavo / (em resposta a Felipe) Responder
      • Se entregando à iniciativa privada? Cara, em que mundo vc vive?. Ao Estado compete somente regulamentar, trazer marco regulatório, fiscalizar, cobrar. Execução e operação tem mesmo que ficar com a iniciativa privada. Chega de Estado gordo e inchado, ineficiente e lento. Tem que privatizar tudo, entregar para as empresas, dar concessões. O capital privado é o que torna esse mundo mais dinâmico criativo, e a ele temos que entregar essas empresas públicas.

        Josh / (em resposta a Gustavo) Responder
        • Hahahahahahahahahahahaha
          O capital privado deu tão certo na linha 6 laranja que ela já será inaugurada no próximo 30 de feveiro.

          Danilo / (em resposta a Josh) Responder
          • Meu caro, o que demorou foi assinar o contrato para início das obras, e não a gestão privada em si! Se vc acompanhasse direito a evolução da L6, veria que as obras estavam em bom ritmo. Agora, por motivo de roubalheira com o setor público, estão na Lava Jato. Mas isso não exclui o fato de que privatizar é muito melhor. Na boa, discutir o benefício de privatização e explicar isso para uma pessoa, em pleno 2016, é como falar com criança. Bem infantil a mentalidade de setor público e estado grande.

            Josh / (em resposta a Danilo)
        • O que é necessário é o chamado choque de gestão e não a maldita privatização, ou vc acha que empresa privada entra num jogo apenas por caridade?

          Claro que não o que eles querem é lucro nas costas do povo e do próprio estado.

          Felipe / (em resposta a Josh) Responder
          • E quem é que paga os ALTOS CUSTOS de manutenção e operação do sistema? O Estado com o dinheiro do contribuinte? (que poderia estar sendo usado para expandir a rede?

            Muito se critica isso, mas se esquece que a empresa privada terá que arcar com todos os custos de uma linha de metrô, sendo obrigado por contrato a ter qualidade inclusive….como na linha 4.

            Privatizações e concessões integral ou parcial tem no mundo inteiro e vai muito bem, obrigado!

            Tudo que o poder publico coloca a mão não funciona, é deficitário e precário….CPTM te manda lembranças….

            Renato / (em resposta a Felipe)
        • E empresas públicas é uma das poucas coisas que restam a nós, deveriamos defenda-las com unhas e dentes cobrando melhor gestão e não entregar os pontos apenas por conversa mole de politico com rabinho preso com grandes empresários.

          Felipe / (em resposta a Josh) Responder
          • Felipe, empresa pública é aquele lugar que os políticos vão alocar os seus aliados em troca de favores. Deveriam ser privatizadas e deixar o mercado regular com gestão eficiente e competitiva. Me espanta ver pessoas defendendo empresas assim. Ou desconhecem economia ou são saudosistas de estado grande. Veja, as empresas privadas possuem seus defeitos, mas são bem melhores que as públicas, que são cabides de empregos e foco de negociatas. E vc, que tanto as defende, é que paga por isso. É uma tremenda ingenuidade defender aquilo que morde o seu próprio bolso.

            Josh / (em resposta a Felipe)
      • A questão é apenas de gestão, com uma gestão eficiente, tudo seria honrado. Infelizmente muitos dos gestores tem rabo preso com a iniciativa privada.

        Felipe / (em resposta a Gustavo) Responder
        • Não ecxiste gestão eficiente onde politicos e sindicatos interferem diretamente.Vide os Correios e Petrobras nesses 14 últimos anos, não passou ileso nem os Fundos de Pensão. Para poder ter uma Gestão Pública eficiente, deveria ter instrumentos, Leis que proibissem ingerência Politica e Sindical, sabe quando os politicos farão essas Leis?Nunca.

          Felix / (em resposta a Felipe) Responder
        • Gestão eficiente é algo que NUNCA VAI ACONTECER no Brasil por conta da roubalheira e da corrupção na politica….

          Bem vindo ao Brasil, aqui não é europa cara!

          Marcelo / (em resposta a Felipe) Responder
    • Sem uma parceria publico eh privado vc estaria andando ah pe ate hoje …

      Daniel / (em resposta a Felipe) Responder
  2. Foi o que eu disse, obras demoradas, pra no fim, dar pra iniciativa privada de graça.

    Rodrigo Santos / Responder
    • Não é de graça. Tem que pagar o bônus da outorga. Existe toda uma modelagem econômico-financeira pra isso, e as empresas terão que investir pesado nessas linhas de metrô.

      Josh / (em resposta a Rodrigo Santos) Responder
      • Mentira!
        Na audiência pública foi esclarecido que a iniciativa privada não terá que dar nenhuma contrapartida além da outorga onerosa, ou seja, não terá que construir absolutamente nada, não terá que equipar nada e muito menos se comprometerá com a expansão das linhas adquiridas e no caso da linha 5 é pior ainda pq nem trens ela terá que comprar porque o Metrô já os recebeu e estão apodrecendo por falta de uso.

        Danilo / (em resposta a Josh) Responder
        • Disse tudo amigo, assim fica fácil querer operar, o “bolo” já ta preparado, assado e confeitado. Ai lógico que os mágnificos “salvadores da pátria” da iniciativa privada vão querer “saborear” ele

          Felipe / (em resposta a Danilo) Responder
        • Eu sou totalmente favorável a iniciativa privada. O problema é que não tem nenhuma iniciativa ai. Ou chamam isso de iniciativa? Pegar tudo pronto, operar, e ficar com os lucros da operação (Que em tese deveriam retornar pro estado, afim de amortizar os custos das obras, que convenhamos, diretamente não vão se pagar NUNCA).

          Pra mim, iniciativa privada é algum grupo chegar e tomar iniciativa, investindo a longo prazo, afim de eventualmente ter um retorno. Construir uma ferrovia ou uma rodovia do zero, tendo ajuda do estado apenas para desapropriações, afim que o retorno venha em 20 ou 30 anos. Também é muito fácil você pegar uma Castelo Branco, uma Bandeirantes ou uma Ayrton Senna que já estão construidas há decadas, meter pedagio de 10 reais, e chamar de “iniciativa” privada.

          Tanto se critica os que “mamam nas tetas do estado” porém o que essa “iniciativa” privada quer fazer é exatamente isso.

          Pedro Lucas / (em resposta a Danilo) Responder
          • Você tem toda razão. O problema da máquina estatal paulista é vender para a população uma iniciativa privada que não faz nada além de utilizar toda uma estrutura já pronta e funcional.
            Gosto da ideia de concessão, desde que haja variedade de empresas/propostas e contrapartida da concessionária, seja em forma de aumento da malha ou de modernização da frota.
            Agora, se for pra fazer essa coisa ridícula da ViaQuattro, na qual o Estado paga pelos passageiros das estações não-construídas, haja paciência, viu…

            Ygor / (em resposta a Pedro Lucas)
          • Parabéns. Melhor comentário sobre o assunto.

            Thiago / (em resposta a Pedro Lucas)
          • E quem paga os custos de operação da linha de metrô, que é altissima? Acha mesmo que a linha está sendo entregue “de graça” e que o Estado ainda vai ter que pagar a operação da linha?

            O Estado entregou a linha 4, mas quem é que arca com todos os custos de operação e toda a infraestrutura mesmo?

            Marcelo / (em resposta a Pedro Lucas)
      • Ai que você se engana, se era pra fazer isso, que já inciasse como PPP, ou seja, se não fez isso, e pura incompetência de administrar, vergonha.

  3. Que entreguem logo, para mim não adianta ficar com o governo se é para funcionar como o metrô e a CPTM. temos que pensar no que é melhor para a população e para mim receber esse serviço que o metrô e a CPTM prestam não é bom.

    Leonardo Gleison / Responder
  4. Alguém conseguiu acessar os documentos?

    Juliana / Responder
  5. Excelente decisão do governador Geraldo Alckmin em privatizar as linhas do Metrô e CPTM. A iniciativa privada, até pela legislação, por não ficar limitada como uma empresa pública, pode fazer a gestão de maneira mais ágil, eficiente e econômica. Um bom exemplo disso, é a Linha 4 Amarela do Metrô. É operada pela iniciativa privada e apresenta satisfação superior à demais que são administradas pela estatal. Para isso fiscalizar essas concessões o governador também uma agência reguladora específica para o transporte sobre trilhos. É assim que uma gestão moderna e eficiente faz.

    Welbi Maia Brito / Responder
    • Fácil ser superior as demais, olha o tamanho da linha, olha o tamanho da demanda de passageiros, falsa impressão de melhor linha.

      Felipe / (em resposta a Welbi Maia Brito) Responder
      • FALÁCIAS !!

        Linha 2 verde do metrô tem demanda semelhante a da linha 4, mas a qualidade e eficiencia é quase como se fosse CPTM x Metrô…..

        Linha 4 – Regularidade, rapidez e eficiencia, com quase nada de falha por ano
        Linha 2 – Lentidão de trens constante, falha e problemas pelo menos 1 vez por semana, intervalos irregulares….

        Renato / (em resposta a Felipe) Responder
    • Webi e sua incessante campanha pro PSDB… eles só te pagam uma coxinha mesmo?

  6. Viva ao estado de SP, tem que privatizar tudo.

    Rodrigo Salome / Responder
  7. Deviam fazer uma ramificação da linha 10 em vez de arriscar pelo monotrilho pela 3 vez

    Fabiano / Responder
  8. Faltou o vídeo da linha 4 amarela e da Linha 13 Jade da CPTM.

    Felix / Responder
  9. O problema desse país é a corrupção endêmica em todos os partidos e órgãos públicos! O ente privado trabalha como agente corruptor e se deixa corromper pelo Estado. Agora quem anda elegendo o PSDB a anos é o povo, se está ruim elejam o pt….e parem de reclamar.

    sandro / Responder
  10. Sou favorável a concessão por 30 anos.As Estradas de São Paulo foram entregues a iniciativa privada como concessão, as concessionárias duplicaram e até quintuplicaram ,Rodovia dos Bandeirantes, muitas estradas terão seus contratos vencendo e o Governo já anunciou novas concessões mais baratas para os usuários pois não terão necessidades de investimentos pesados no futuro.

    Felix / Responder
  11. Se a privataria fosse tão eficiente a linha quatro não estaria andando à passos tão lentos.

    William / Responder
    • O tipo de PPP da linha 4, quem constrói e o governo do estado, inclusive com muitos atrasos, deve uma bolada pra CCR, e pra pagar, tirar o dinheiro das linhas publicas, piada, tudo errado desde o começo.

  12. tem que privatizar mesmo … chora petezada .. !!!!

    Jurandir / Responder
  13. A privatização de hoje é menos um emprego ou um escândalo para um petista amanhã…

    Ed / Responder
  14. A privatização de hoje é menos um emprego ou um escândalo para um petista amanhã…

    Ed / Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*