Projeto quer mudar nome da estação Vila Mariana do Metrô

Um projeto de lei do deputado estadual André Soares quer que a estação Vila Mariana, da linha 1 – azul do Metrô, tenha seu nome alterado para Enéas Tognini-Vila Mariana.

Enéas Tognini em questão, nas palavras do deputador, “foi um pastor batista nascido em Avaré (SP) em 1914 e morto no ano passado, que nos anos 1960, “um dos grandes líderes do avivamento espiritual, que originou a Convenção Batista Nacional (CBN)”.

O deputado, que é filho do pastor neopentecostal Romildo Ribeiro Soares, conhecido na TV como missionário R. R. Soares, alega ainda que Tognini “tem especial relação com a região objeto da homenagem“, afinal, a Igreja Batista do Povo, fundada por ele, fica na rua Domingos de Morais, perto da estação Vila Mariana.

O projeto foi aprovado na Assembleia Legislativa e agora está para sanção ou veto do governador Geraldo Alckmin.

A Secretaria Estadual dos Transportes Metropolitanos, responsável pelo Metrô e pela CPTM, informou, por meio de nota ao portal UOL, responsável pela reportagem, que qualquer “alteração no nome das estações do Metrô e da CPTM implica em gastos significativos para a substituição da comunicação visual de todas as estações e trens, mapas dos arredores, além da adaptação das estruturas de sinalização do nome da estação, que foram projetadas para atender a uma determinada quantidade de caracteres”.

A secretaria ainda sustenta que que os nomes das estações já estão “consolidados e se tornaram referências da cidade, de modo que os mapas urbanos veiculados pelas mídias também precisam ser alterados, incluindo os mapas de trólebus, ônibus municipais e intermunicipais”. O texto informa também que a nomeação das estações “é precedida de estudos histórico-geográficos e pesquisas junto à população local, além de considerar critérios de fácil leitura, pronúncia e memorização.

Fonte: Portal UOL


Autor: Caio Lobo

Ler todos os posts

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

22 Comentários deste post

  1. Afff, cada ideia! Imagina: “ah, vou pra estação meu nome é enéas tonhini”. Fala sério, é Vila Mariana e ponto!

    Gapre / Responder
  2. Estado laico para quê, né?

    Júlio de Almeida Lopes Vieira / Responder
  3. Pqp.. Era só oq faltava. Mudar um nome para homenagear um pastor simplesmente pela história com a sua religião. Gastar dinheiro para todas as adequações e ainda deixar um nome de pronúncia complicada. Ridiculo algo deste tipo ter sido aprovado pela câmara. Se o governador autorizar, vai selar a falta de bom senso na administração do Metrô.

    O.Juliano / Responder
  4. Com tanto assunto sério a ser tratado, estes bossas perdem tempo renomeando ruas e agora estações de metrô. Ninguém merece !

    Marcelo Pádua / Responder
  5. Segundo um estudo da CPTM apresentado na AEAMESP, o custo de mudança de nome de uma estação pode variar entre R$ 619 mil a R$ 790 mil.

    http://www.aeamesp.org.br/22semana/wp-content/uploads/sites/5/2016/09/T60-Clercia-Mara.pdf

    Ivo Suares / Responder
  6. Tem é que socar um vagabundo desses e fazer pagar do proprio bolso se quer tanto mudar o nome . . .

    Renato / Responder
  7. Ao ler isso eu ja vi que não fui um Unico a Pensar que isso ia dar Ruim…
    Sério, isso é muita falta do que fazer e falta de noção…
    O Cara realmente não sabe o que esta em jogo em ‘alterar o nome de uma estação’…
    Ja temos obras paradas e Lentas, eu podia esperar qualquer qunado li o titulo… Palhaçada do Governo e algo do Tipo mas esse aí Superou minhas expectativas

    Metoxi Hikaru / Responder
  8. Muda a do brás pra Salomão tbm rsrsrs brinks

    Rodrigo / Responder
  9. Um absurdo !!!!
    Veta Alckim!!!!!

    Rodrigo Salome / Responder
  10. Ai fico pensando, sera que quem elegeu ele, sabe que elegeu ele? Acho que não.

    Rodrigo Santos / Responder
  11. É falta de criatividade para atender prioridades dos cidadãos. Estamos lascados.

    Felix / Responder
  12. Nada de mais , mais não deixa ser ridiculo falta do que fazer …

    gilberto / Responder
  13. Com a crise econômica que o país enfrenta, não faz nenhum sentido trocar o nome de uma estação de metrô para homenagear um religioso.

    Welbi Maia Brito / Responder
  14. Uma estação deve ter o nome do bairro

    Fabiano / Responder
  15. Estação não foi feita para homenagear ninguém, o nome deveria ser sempre um ponto de referência de sua localização.

    Mas como nosso país é uma piada e nós somos os palhaços, teremos que conviver com isso, até o dia que o brasileiro aprender a votar.

    Anderson / Responder
  16. quer homenagear? que faça com uma estação nova ainda sem nenhum vínculo, ou melhor crie uma praça e bote o nome nela, de instalação, manutenção e etc… as custas dos outros… aí complica né, se for tão importante assim será lembrado naturalmente, sem precisar forçar a barra.

    Alexandre i / Responder
  17. Idiotice a flor da pele!!!
    Tenho certeza que o governador será coerente e vetará tamanha falta de noção, e principalmente evitará os gastos que esta babaquice traria para nós contribuintes do estado de SP.

    Pertio Matos / Responder
  18. Aff que lixo. Sem noção! Não vai mudar e pronto.

    Leandro Costa / Responder
  19. Parece que as criticas soaram alto, parece que o Alckmin vetou o projeto.

    Anderson / Responder
  20. Isso é Uma Vergonha, Como Diz o Boris Casoy

    Michell / Responder
  21. Ainda bem que o governador tem bom senso!

    Ed / Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*