Doria confirma volta de velocidades nas marginais. Entidades são contra

As velocidades máximas nas marginais Tietê e Pinheiros devem voltar para as praticadas antes da política de redução de acidentes, adotada pela atual gestão, no dia 25 de janeiro, disse o prefeito eleito João Doria. Na visão de Doria e sua equipe, os índices de mortos e feridos deve se manter em declínio com a adoção de campanhas de conscientização e reforço na sinalização.

O limite na pista expressa passará de 70 km/h para 90 km/h. Na central de 60 km/h para 70 km/h, e na local, para 60 km/h com algumas exceções. “Na faixa da direita da pista local, pela qual transitam os ônibus e que permite conversão à direita, a velocidade será mantida em 50 km/h”, diz a nota.

Deve ser ainda intensificada a fiscalização, com a manutenção de radares e a instalação de lombofaixas em áreas com grande concentração de pedestres. Em apenas um ponto da marginal Pinheiros, mais de 19.300 (19,3 mil) pedestres circularam no período entre 6h e 20h, segundo estudo da Ciclocidade.

Entidades de Mobilidade Ativa são contra

Entidades ligadas a ciclistas e a mobilidade a pé entregaram nesta semana ao Ministério Público do Estado de São Paulo um dossiê de cerca de 300 páginas em favor da manutenção das baixas velocidades nas marginais e demais vias da cidade. O documento foi construído pela Ciclocidade – Associação dos Ciclistas Urbanos de SP, Cidadeapé – Associação pela Mobilidade a Pé em São Paulo, Bike é Legal, Bike Zona Sul, Idec – Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor, Pé de Igualdade e Sampapé.

“Viemos colaborar com o Ministério Público em seu inquérito para respaldá-lo tecnicamente, pois as entidades aqui presentes consideram que a política pública de aumento de velocidades nas marginais, a ser implementada pelo prefeito eleito João Doria, é ilegal”, declarou a advogada Juliana Maggi Lima, representante da Ciclocidade.

Para Ana Carolina Nunes, representante da Cidadeapé, “a decisão de voltar a aumentar as velocidades é unilateral e pensada somente a partir do viés de quem anda de carro”. Ana Nunes participou das duas contagens nas marginais e pôde ver de perto os problemas enfrentados por pedestres e ciclistas. “Estamos buscando todas as vias de diálogo com a nova gestão para dar visibilidade às pessoas mais vulneráveis no trânsito, mas vemos que não temos mais opções. Por isso protocolamos os documentos, para mostrar que existe uma demanda contrária à volta das altas velocidades, com argumentos técnicos e formais. Queremos debate público”, afirmou.


Autor: Renato Lobo

Ler todos os posts

Paulistano, Técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

17 Comentários deste post

  1. Perfeito, muito coerente . Até porque ninguém anda no limite da velocidade indicada, sempre a velocidade do veículo é menor.Acidentes graves normalmente ocorrem de madrugada com motoristas que não respeitam velocidades e nos horários de pico não se atinge velocidades acima de 40km/h.

    Felix / Responder
    • ninguém anda no limite da velocidade indicada, sempre a velocidade do veículo é menor
      Exatamente por isso que as velocidades atuais devem ser mantidas.

      Quem reclama da indústria das multas é fabricante de multas.

      Anonimato / (em resposta a Felix) Responder
  2. só para agitar
    limites são assim:
    70 km na expressa, todos andam a mais ou menos uns 80, 85 só de leve , é claro até o radar, ai você aumenta para limite 90Km, ai vão andar a 100, 110km, onde acontecem os acidentes.

    antonio carlos / Responder
  3. Vamos voltar aos tempos dos tombamentos de caminhões nas Marginais que atrapalham o trânsito durante o dia.

    Alex / Responder
    • Não entendi, a velocidade para veiculos pesados não mudou, como vai aumentar o tombamento?

      Felix / (em resposta a Alex) Responder
      • Aumentou de 50 para 60 km/h nas pistas locais. Além disso, tem faixas com diferentes velocidades na mesma pista (50 e 60 km/k). Motos a 90 km/h?! Tudo errado.

        Alex / (em resposta a Felix) Responder
  4. ………..Lombofaixas………………………

    Jose Rocha / Responder
  5. O Dória e um empresário que sempre andou de carro, não vejo novidade.

    Rodrigo Santos / Responder
  6. O secretário falou que o maior problema são os pedestres e os motociclistas. Como eliminar o trânsito de pedestres numa cidade como São Paulo, onde pessoas são levadas a morar nessa situação? Tem um monte de gente que trabalha naqueles prédios próximos ao Shopping Market Place/Morumbi. Como remover a circulação de toda essa gente ali na Marginal?! Motociclistas a 90km/h é um atentado direto à vida dessas pessoas! Ridículo.

    Alex / Responder
  7. Caros, concordo que há uma pressão da indústria automibilistica, mas o aumento das velocidades na marginal tem um fator que os que me antecederam nas mensagens não levaram em conta: a voz do povo nas urnas.
    Se não se recordam, o Doria ganhou em primeiro turno com ampla margem de votos. Uma de suas principais promessas de campanha era o reestabelecimento das velocidades nas marginais. Por mais que esperneiem, vivemos num democracia, a voz do povo deve prevalecer.
    Vamos pro lado técnico, como profissional da área de engenharia que sou. Com certeza a redução ajudou a reduzir as consequências de acidentes. Porém não há como negar que houve um aumento expressivo na fiscalização no período. Não acredito que puramente a redução da velocidade teria dado este resultado alegado pela prefeitura. Fator principal do bom resultado é o aumento da fiscalização, que por melhor que seja ainda é precária quanto às motos e ambulantes, tendo muito espaço para aumentar.
    Concluindo, além de ter que levar em conta a voz das urnas, é não é provado com dados que o fator principal foi da redução do número de acidentes foi a diminuição das velocidades, vide o que ocorreu nas estradas paulistas. Aos que não gostaram do retorno das velocidades, sugiro que façam uma análise baseada em dados e em métodos delevantamento falhas (ex. Ishikawa). Apesar disto temos que ficar atento aos dados históricos que ocorrerem a partir do dia 25/01/2017.

    Alisson / Responder
    • Perfeito, circulei nas marginais Tiete de 1997 a 2010 da Vila Maria X Ceasa e vide-verso, nunca me envolvi em acidentes.É só cumprir as normas do trânsito que não haverá problemas.

    • Discordo de você quando diz que “não é provado com dados”.

      Cara, o MUNDO TODO está reduzindo suas velocidades nas cidades. Por mais que as Marginais tenham vias expressas, elas fazem parte de um contexto urbano onde há, por exemplo, motociclistas arriscando suas vidas diariamente em função da pressão do trabalho que eles levam. Há dados suficientes que comprovam, tanto aqui quando em outras cidades do mundo, que a redução de velocidade dentro das cidades é importante para a preservação da vida da população.

      A voz do povo nas urnas não diz claramente que o voto foi pelo aumento da velocidade. O contexto da vitória do Dória está longe de estar relacionado com uma reprovação direta à administração do Haddad, mas uma reprovação do seu partido e de toda a repercussão negativa que o envolveu nos últimos meses. Mas isso é uma outra discussão.

      O que se discute é se, nesse momento, vale a pena voltar atrás numa decisão que, segundo especialistas em trânsito, foi acertada. Se há dúvida sobre a real eficácia da medida de redução de velocidade, vamos esperar a retomada da economia daqui a alguns anos e avaliar se é melhor manter ou não. Tanto isso é verdade que, após a vitória do Dória, pensou-se em retirar essa ideia de aumentar a velocidade nas vias de SP (pesquise no Google que você encontrará notícias a respeito). Como pegou mal para quem votou nele, ele vai fazer um “volta atrás meia-boca” para dizer que cumpriu a promessa de campanha.

      Alex / (em resposta a Alisson) Responder
  8. Não , na local , a faixa da direita continuará 50 km/h.

    Felix / Responder
    • ERRADO!

      Apenas uma misera faixa será mantida em 50km/h

      Um absurdo sem igual, em uma mesma pista com 2 limites de velocidades diferentes, tudo para agradar carrocratas…

      Bem, o que vai esperar de um sujeito que só anda de carro importado e helicoptero?

      Renato / (em resposta a Felix) Responder
  9. Faz parte da democracia se manifestar a favor ou contra, pelas notícias que li sobre o assunto, a medida mais acertada foi definir o limite de velocidade máxima em 50 KM/h na faixa de ônibus. Os ônibus pela cidade excedem o limite de velocidade nas faixas destinadas a eles e utilizam as outras faixas quando convém, verdadeiro absurdo. Lembrando que transportam carga viva e são os maiores causadores de mortes fatais.

    ROBERTO / Responder
    • A prioridade de circulação nas vias é da maioria, ou seja, usuários dos onibus tem prioridade sobre o individual e é claro que os onibus podem e DEVEM usar as faixas de carros como bem entender. Afinal, estão transportando mais de 100 pessoas por veiculo, contra 1 ou 2 da maioria dos carros.

      Absurdo seria manter os onibus limitados a uma unica faixa e em dias de pouco movimento, não poder usar as outras faixas para ultrapassagem.

      Então vamos fazer que nem Santiago e Bogotá fizeram: Tirar 2 faixas inteiras dos carros para dar lugar aos onibus e criar linhas expressas e permitir a livre ultrapassagem em qualquer ponto…..

      Renato / (em resposta a ROBERTO) Responder
    • não existe faixa exclusiva para carros … bota a fonte ai dos maiores causadores de mortes fatais

      Alexandre I / (em resposta a ROBERTO) Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*