Alckmin pode congelar tarifas de Metrô e CPTM em 2017

A equipe do governador Geraldo Alckmin está estudando a possibilidade de seguir o caminho do prefeito eleito de São Paulo, João Doria, e congelar as tarifas do Metrô e CPTM em R$ 3,80 para 2017.

Entre as possibilidades para manter o valor da tarifa igual, estão reajustes nos bilhetes diário, semanal ou mensal de ônibus, vale-transporte, passe escolar e revisão das gratuidades a idosos com mais de 60 anos, pessoas com deficiência e estudantes de baixa renda.

Os técnicos ainda estão estudando os últimos detalhes e devemos ter isso (definição) nos próximos dias”, disse o secretário estadual de Transportes Metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni. “Há diversas possibilidades que estão sendo analisadas, mas precisamos aprovar com os nossos chefes ainda, o governador e o prefeito”, completou o titular da pasta, sem dar mais detalhes sobre o estudo.

Nos últimos anos, tanto a tarifa de ônibus municipal de São Paulo quanto o Metrô e CPTM tem reajustes conjuntos e ficam no mesmo valor.


Autor: Caio Lobo

Ler todos os posts

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

7 Comentários deste post

  1. Por favor
    Populismo Não !!!!
    Se tiver q aumentar, aumente.
    Depois a população vai perde em qualidade e vai pagar em dobro.

    Rodrigo Salome / Responder
  2. Ai em 2018, aumenta o equivalente a 2 anos….de R$ 3,80 para R$ 4,50, como fez Guarulhos…..

    Politicagem non-sense!

    Renato / Responder
  3. Acho que deveria aumentar para 5,00 pilas.

    Felix / Responder
  4. Se o governador Geraldo Alckmin conseguir manter as passagens da CPTM e Metrô sem aumento será uma grande ajuda à população nesse momento de crise econômica. Principalmente aos trabalhadores mais pobres.

    Welbi Maia Brito / Responder
  5. Alckminzetes, decidam-se: é pro santo aumentar a passagem ou não?

    Gapre / Responder
  6. Fica a critério do freguês.

    Felix / Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*