Zonas leste e Sul ganham novas ciclovias

A companhia de Engenharia de Trafego entregou nos últimos dias quase 4 quilômetros de ciclovias na cidade de São Paulo, e a malha cicloviária passou a ser de 481,6 km.

Zona Leste

Uma delas é na Avenida São Miguel, com 2,3 km de extensão, entre a Rua Professor Antonio de Castro Lopes e a Avenida Dr. Custódio de Lima – atende aos bairros de Vila Paranaguá, Parque Cruzeiro do Sul e Vila Jacuí.

Já a outra é a continuação das ruas Taquari e Bresser, com 700 metros de extensão, entre as ruas Messias de Pina e Jaibarás.

Ela fará parte do eixo Zona Leste-Centro, que deve transpor futuramente o Viaduto Bresser, o bairro do Brás, até a avenida Rangel Pestana, depois o Viaduto Vinte e Cinco de Março, de volta a Rangel Pestana, até a Praça da Sé.

Zona Sul

A nova ciclovia fica na Rua Aída, com 900 metros de extensão, entre a Avenida Presidente Wilson e a Rua Álvaro do Vale –  atende aos bairros de Vila Carioca, Vila Independência e Ipiranga.


Autor: Renato Lobo

Ler todos os posts

Paulistano, Técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

11 Comentários deste post

  1. Viaduto 25 de março é péssima ideia, lugar perigosíssimo em qualquer horário, só é viável pedalar por ali se a prefeitura colocar GCM patrulhando a área 24 horas/dia.

    Fabio / Responder
    • Já há sinalização da travessia de ciclistas no fim do Viaduto 25 de Março e fizeram ligação ciclista da Catedral da Sé ao Poupatempo Sé. Só falta a Rangel e o Viaduto para completar a Ligação Largo da Concórdia para Praça da Sé…

      FABIO HIDEO ISODA / (em resposta a Fabio) Responder
      • Muito legal!
        Só me preocupa a segurança no viaduto, é um local com frequentes roubos em plena luz do dia, e ciclista é alvo fácil.

        Fabio / (em resposta a FABIO HIDEO ISODA) Responder
        • Não existe lugar seguro em SP, qualquer lugar é perigoso e estamos sujeitos a assaltos….

          Se for se limitar por causa disso, então melhor nem sair de casa…

          Renato / (em resposta a Fabio) Responder
          • Mas existem os mais seguros e os menos seguros, um mínimo de senso de proporção ajuda bastante, haviam opções melhores para essa travessia (Av Mercurio por exemplo).

            Fabio / (em resposta a Renato)
  2. Mais importante que pintar, é conservar, o que não temos visto.

    Felix / Responder
  3. Não tem nada de zona sul ai é tudo zona leste

    As pessoas acham q Ipiranga é zona sul n tem nada haver , Ipiranga é zona sudeste q faz parte da zona leste

    Wagner / Responder
    • Não. Zona sudeste é zona sudeste. Inclusive, antes dessa divisão em 9 zonas criada pela Marta, o Ipiranga era considerado zona sul, é só lembrar que as duas principais viações que circulavam pela região na época, Bristol e Taboão, tinham um retângulo na cor azul

      Gapre / (em resposta a Wagner) Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*