Para quitar dívida trabalhista, Governo deverá leiloar trem no Rio

Uma determinação da 57ª Vara do Tribunal Regional do Trabalho (TRT-RJ) determina que o governo do Estado do Rio de Janeiro leiloe um vagão de uma composição Coreana, em operação na SuperVia, para pagamento de dívidas trabalhistas. O carro é avaliado em R$ 3 milhões.

Em nota à imprensa, a administração estadual diz vai recorrer da decisão, dizendo que o carro é destinado ao serviço de transporte de passageiros. Mas o leilão já está marcado para o dia 25 de outubro.

A ação foi iniciada em 2013, quando o funcionário da Companhia Estadual de Engenharia de Transporte e Logística (Central), empresa que administra os bondes de Santa Teresa, entrou na Justiça sobre os pagamentos de FGTS e outras verbas trabalhistas. A Justiça diz que após a privatização dos serviços de trens urbanos, a SuperVia passou a ser a sucessora da extinta Flumitrens e da Central, devendo responder pelas dívidas trabalhistas.


Autor: Renato Lobo

Ler todos os posts

Paulistano, Técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

7 Comentários deste post

  1. Tanto trem parado pra ser leiloado, e vão tirar um que serve à população. Leiloem os bens dos gestores públicos e não algo que é útil à maioria que nada tem a ver com isso.

    Robert / Responder
  2. Apenas mais uma desestatização mal feita.

    Roberto / Responder
  3. Que absurdo, algo que serve a população.

    Rodrigo Santos / Responder
  4. Ta, mas e ai ? Ele vai ser vendido para alguem , e essa pessoa vai fazer o que ? Brincar de trenzinho em casa ? Abrir Foodtrain ? Hahaha Quais são as opções?

    Rafael / Responder
  5. O TRT RJ SÓ PODE ESTA DE SACANAGEM VÃO FAZER CANIBALISMO EM UM TREM DE 12 MILHÕES PARA PAGAR DÍVIDAS TRABALHISTAS. E PROVAVELMENTE TODA COMPOSIÇÃO SERÁ PERDIDA SE ISSO ACONTECER É INACREDITÁVEL !!!! MAS ACREDITO QUE UM JUIZ DE BOM SENSO DERRUBARAR ESSA DECISÃO ISSO NÃO EXISTE.

    Marcelloolliveira / Responder
  6. inc0mpetencia juridica

    joao / Responder
  7. Oche, que estranho. Isso me lembra uma matéria que estava escutando em um jornal por aí, que dizia que o ideal seria que juízes tivessem ao seu lado assessores técnicos ou consultores relativos a assuntos onde não há conhecimento profundo sobre sua situação, como justamente mobilidade por exemplo.

    Acho que o ideal seria ou leiloar trem a ponto de ser desativado ou fazer até uma espécie de “refinanciamento”: pegue um trem que possa ser compatível com outras linhas no Brasil (por exemplo, um trem que sirva nas linhas de Salvador), e deixa “alienado ao banco” até a conclusão do pagamento do “empréstimo”. Caso o pagamento não seja efetuado por completo, o trem é revendido para a linha compatível, ao valor de um pouco mais do saldo devedor existente.

    Anonimato / Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*