Grupo de Apoio a Carro-Dependentes

No dia mundial sem carro, a agência Salve, em campanha para a Caloi, produziu imagens com depoimentos bem-humorados sobre viciados em carro.

“Tem uma frase que eu gosto muito e que ouvi de um figurão da prefeitura de São Paulo: quando chove, o paulistano não pega o guarda-chuva, tira o carro da garagem. Isso sintetiza o abuso, o exagero no uso do carro na cidade”, afirma o Direção de Criação da empresa, James Scavone.


Autor: Renato Lobo

Ler todos os posts

Paulistano, Técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

3 Comentários deste post

  1. Apesar de eu hoje pensar que precisamos diminuir ao máximo o número de carros nas ruas, tratar de forma humilhante as pessoas que usam os veículos particulares como meio de locomoção diária não vai resultar em mudanças na mobilidade urbana e nem na conversão de um usuário de automotor para usuário de transporte público.

    Isso no final é um jogo de “bem contra o mal”, um maniqueísmo, que esquece/ignora o fato que as pessoas usam os veículos porque a cultura no entorno permitiu e fez que a consciência das pessoas entendessem que um carro é o melhor para ela. Que é melhor o “eu sozinho” do que o “nós conosco”.

    O que é realmente necessário tratamento, e isso não se faz com humilhação *(apesar de no fundo eu querer que sejam humilhados, mas é contraditório tal sentimento), é pegar o pessoal que é “gearhead”, “motorhead”, “petrolhead” e usa o carro de forma violenta contra outros (tal como no último personagem da propaganda, que diz que “acelera no finalzinho do amarelo”). E mesmo isso tem que ser feito de forma inteligente. Mas isso é complexo.

    Não é “carro dependência tem cura”. VAMOS PARAR COM ISSO, POR FAVOR!. E sim, “pense melhor sem precisar de um automóvel”. E ISSO NA VERDADE VAI ALÉM! Podemos dizer, “por que não pensar no próximo também?”.

    A se pensar: qualquer forma que estigmatize um outro da sociedade resulta em marginalização, em polarização de ideias. E quanto mais polarização, mais difícil as mudanças. Pensemos sobre.

    Anonimato / Responder
    • o amigão ANONIMO, o video tem como proposito criticar de forma bem-humorada esse uso exagerado do carro. Se você não consegue visualizar isso, assista de novo.

      jildinei / (em resposta a Anonimato) Responder
      • Em primeiro lugar não sou seu amigo. Sou alguém consciente que o anonimato é proíbido por lei e que está emitindo uma opinião como anonimo pois não quer ver seu nome associado a este site.

        Segundo, entendo que o humor também pode conter violência, segregação e preconceito.

        Anonimato / (em resposta a jildinei) Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*