Estatal Francesa e Alstom trabalham no novo TGV

A SNCF -Société Nationale des Chemins de fer Français, uma das principais empresas públicas francesas e a fabricante de Trens Alstom, trabalham na construção da próxima geração dos trens de alta velocidade (TGV), com o objetivo de colocar em operação em meados de 2022.

O projeto “vai conduzir para a definição de uma nova estratégia tecnológica, comercial e industrial em alta velocidade”, diz um comunicado de uma das empresas. Os principais objetivos são reduzir os custos de aquisição e operacionais da nova frota em pelo menos 20%, reduzir o consumo de energia em pelo menos 25% e aumentar a capacidade de transporte em cerca de 20%.

Inicialmente, as equipes devem se concentrar na especificação para os novos trens, que serão concluídas até o final de 2017.


Autor: Renato Lobo

Ler todos os posts

Paulistano, Técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

9 Comentários deste post

  1. Renato, excelente matéria, mas tem um pequeno erro de digitação/francês nela:
    No título você chamou o trem de TVG sendo que o nome original em francês é TGV, “Train à Grande Vitesse” que em tradução literal significa “Trem de Grande Velocidade”, apesar de no brasil ter se popularizado o termo TAV, “Trem de Alta Velocidade”.
    Espero ter ajudado!

    Francis / Responder
    • Francis….acredito que tenha acontecido apenas um pequeno erro de digitação do Renato,é muito comum acontecer isso,muitas vezes por ansiedade ou a velocidade com que ocorre a digitação,algumas vezes ocorre alterarmos as posições das letras,mais é sempre bom estarmos atentos,e uma colaboração não deve ser confundida com uma critica.Muitas vezes acontece comigo quanto digito os meus textos,e por isso sempre faço varias leituras dos mesmos após estarem concluídos para sanar esses pequenos deslises,mais isso é perfeitamente normal,só erra quem escreve.Vai aqui mais uma pequena colaboração sobra a matéria acima – O novo trem,futura composição de alta velocidade da França,vai oferecer um verdadeiro avanço em termos de competitividade,reduzindo custos e oferecendo aos passageiros uma nova experiência “em conforto e serviços de bordo”.
      O projeto visa a reduzir os custos de aquisição e operação em pelo menos 20%,com “taxa de reciclagem de material”superior a 90% e o consumo de energia reduzido em pelo menos 25%.A nova geração de TGV devera oferecer um aumento de 20% na sua capacidade,com base em um interior mais modular com melhorias em conectividade e serviços de bordo aos passageiros .

      Salvador sobre Trilhos / (em resposta a Francis) Responder
    • Amigos, obrigado pela correção 😀

      Renato Lobo / (em resposta a Francis) Responder
  2. Impressionante, tem gente que só comenta pra corrigir kkkkkkkkkkkkkk, mais quanto ao assunto abordado, essa tecnologia sera concorrente do maglev sera?

    Rodrigo Santos / Responder
    • Rodrigo, eu comento sempre que minha opinião é importante para o assunto e eu fujo sempre dos comentários que envolvem o partido A ou B, pois no final das contas, os argumentos ficam de lado e a discussão vira uma partida de futebol.
      Mas, apesar de você achar que “estou aqui para corrigir”, alguém precisa avisar o renato do erro. Não quero visibilidade, e sim ajudar (inclusive, se o Renato quiser excluir o primeiro comentário depois da correção, por mim tudo bem).
      Quanto o assunto, não falo nada para não falar besteira. Por exemplo, você ao comparar o TGV com o Maglev ignora o fato do primeiro ser de “Trilhos Tradicionais” e o segundo de Levitação (Maglev = MAGnetic LEVitation).
      O Problema de compararmos o Maglev com o TGV é que ele é MUITO mais caro que o TGV e que seus trilhos são completamente diferentes. Logo o “reduzir os custos em pelo menos 20%, reduzir o consumo de energia em pelo menos 25% e aumentar a capacidade em cerca de 20%” invalida completamente a sua tese do Maglev. As mudanças serão provavelmente nas configurações dos trens, estações e controles.

      Francis / (em resposta a Rodrigo Santos) Responder
    • Não Rodrigo…trata-se apenas da modernização e aperfeiçoamento do sistema,com redução de custos operacionais,grande índice de reciclagem,mais segurança,aumento da capacidade de transporte de passageiros,novo design interior e melhorias em conectividade é o aprimoramento do excelente serviço já existente a décadas.Os TGVs franceses são realmente um maravilha,e vale apena o prazer de andar neles.A propósito a sigla TAV,adotada no Brasil, é usada na Itália onde circulam as excelentes composições da estatal Trenitália de alta velocidade Eurostar e os TAVs da Ferrari.

      Salvador sobre Trilhos / (em resposta a Rodrigo Santos) Responder
      • Quis dizer qual sera que se dará melhor.

        • Bem…até o momento não temos conhecimento da existência de trem Maglev na França,apenas um TGV em um teste a algum tempo atras superou a marca de 500km,mais foi apenas um teste pois a velocidade comercial ideal fica entre 300/320Km.Com certeza esse novo trem será ainda melhor do que os atuais TGVs franceses,que também são muito bons.

          Salvador Sôbre trilhos / (em resposta a Rodrigo Santos) Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*