Metrô do Recife pode parar por crise financeira

Na semana passada, o ministro das Cidades, Bruno Araújo, em entrevista coletiva em Brasília alertou para dificuldades financeiras enfrentadas pela Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU).

O orçamento do Metrô de Recife deste ano foi reduzido para R$ 51,8 milhões, metade dos R$ 104 milhões necessários, o que pode levar a redução ou até paralisação do sistema em julho.

“Em 60 dias, se não viabilizarmos recursos, não haverá dinheiro para pagar a energia de deslocamento dos metrôs”, disse Araújo, referindo-se aos sistemas de Recife, Natal, João Pessoa, Maceió e Belo Horizonte, administrados pela CBTU.

O gestor alerta para a necessidade de recomposição financeira da Companhia. “(A CBTU) tem centenas de funcionários no Rio de Janeiro e administra metrôs que ficam no Nordeste, a dois mil quilômetros. Não parece funcional”, complementou o novo ministro.

“Já temos trens parados por causa disso, inclusive os novos. Sem recursos, a possibilidade de o atendimento ser afetado a partir de julho existe”, disse o superintendente interino da CBTU no Recife, Leonardo Villar Beltrão.

Com as informações de Folha de Pernambuco


Autor: Renato Lobo

Ler todos os posts

Paulistano, Técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

11 Comentários deste post

  1. Metrô fo governo federal.

    Roberto Gomes / Responder
    • Prezado Roberto, você tem toda razão. Os sistemas metroviários operados pela CBTU não são metrôs, apenas levam o nome de metrô dado pelos políticos, não pelos técnicos. Tecnicamente falando só há metrô em três cidades brasileiras: São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília, nas outras cidades há trens metropolitanos, um pouco diferente!

  2. Que engraçado, os trens, as vias com brita e as catenárias suspensas como se vê na foto acima são equivalentes aos trens metropolitanos de SP mas no Recife isso recebe nome de metrô. Se for assim o metro de SP deveria ser considerado muito maior do que realmente se reconhece que é, isso embora seja operado por uma CIA distinta em parte da linhas. Bem confusa essa classificação que se faz Brasil afora.

    Felipe / Responder
    • Pensei na mesma coisa

    • Prezado Felipe, você tem toda razão. Os sistemas metroviários operados pela CBTU não são metrôs, apenas levam o nome de metrô dado pelos políticos, não pelos técnicos. Tecnicamente falando só há metrô em três cidades brasileiras: São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília, nas outras cidades há trens metropolitanos, um pouco diferente!

      José / (em resposta a Felipe) Responder
  3. Má administrarão da nisso.

    Rodrigo Santos / Responder
  4. O Brasil está quebrado e consequentemente a CBTU, governo Federal, também.

    Roberto Gomes / Responder
  5. Não vejo como problema uma administração descentralizada, já que a CBTU opera em vários estados do Nordeste e em Belo Horizonte. O problema real é a empresa servir de cabide de emprego e aplicar uma tarifa insustentável, a passagem em Natal é R$0,50, no mínimo deveriam aplicar o mesmo valor das tarifas de ônibus das respectivas regiões!!!

    Marcelo / Responder
  6. A CBTU é um ótimo exemplo de cabide de emprego!

  7. Não vejo problema nenhum a sede da CBTU ficar no rio de janeiro e as superintendencias em outros estados o que falta mesmo é compromisso da classe política com o sistema metroviário e ferroviário do país.

    amauri f, dos santos / Responder
  8. O país tem passado por uma crise muito grave, mas tenho fé de que tudo vai passar bem.

    Danilo Diego / Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*