Começa escavação do túnel mais longo da Tamoios

Foto: A2img / Eduardo Saraiva

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, esteve nesta quinta, 28, no canteiro de obras da duplicação da Rodovia dos Tamoios para dar início ao primeiro dos cinco túneis previstos na obra. Este, em questão, será o túnel mais longo do estado, com 3.675 metros, superando o túnel de 3.146 metros da Rodovia dos Imigrantes.

“Uma autoestrada com tecnologia de ponta, grandes cuidados ambientais e que começa agora, já aqui com a explosão do chamado túnel 5. As obras começam de Caragua para São José, para Paraibuna, e daqui a alguns meses começa de lá para cá, vão se encontrar as duas frentes de trabalho. É uma rodovia com segurança, conforto, qualidade, sem grandes impactos ambientais e promovendo o desenvolvimento do litoral e do Vale do Paraíba. Uma ligação histórica em uma das regiões mais industrializadas do mundo”, disse Alckmin.

A obra começou em dezembro e deve ser entregue em 2020. A responsável pela obra é a concessionária Tamoios com gerenciamento e fiscalização da Artesp.

Foto: A2img / Eduardo Saraiva

Foto: A2img / Eduardo Saraiva

“A concessionária está recuperando o trecho antigo, o pavimento, fazendo a iluminação da Serra. Acho que mais 30 dias toda a Serra estará iluminada, recuperando sinalização, obras de arte, e a operação da rodovia com um conceito de rodovia viva, com ambulância, carro guincho, telefonia, câmeras de vídeo”, complementou o governador.

Oito meses depois de iniciada a frente de trabalho terá início a escavação em São José dos Campos, que será realizada sentido Caraguatatuba. A entrada do túnel se interligará com o Contorno de Caraguatatuba através de um viaduto de quase um quilômetro de extensão, cujos pilares terão cerca de 40 metros de altura.

Dos 21,6 quilômetros de novas pistas – entre o km 60,4 e o km 82 -, 12,6 quilômetros são referentes aos cinco túneis da obra, e haverá ainda nove viadutos, uma ponte e um pontilhão.


Autor: Caio Lobo

Ler todos os posts

Paulistano e Corinthiano, formado em Marketing porém dedicou sua experiência profissional, pós-graduação e MBA na área de Finanças. Temas relacionados à mobilidade urbana o fascinam, principalmente quando se fala de metrô.

8 Comentários deste post

  1. Esqueceu de tirar a mascara do “Gapre” Jardel … poe sua assinatura original.

    Alexandre I / Responder
  2. ” início a escavação em São José dos Campos” a escavação não seria em Caraguatatuba/São Sebastião?

    Tom / Responder
  3. Alexandre, esse é o Grapre se curvando à realidade.Essa obra e extremamente necessária para a Cidade de Caraguatatuba, os veículos que seguem para a Cidade e o Porto de São Sebastião bem como para quem segue para o Norte, Ubatuba,Parati etc…Não passarão por dentro da cidade de Caraguatatuba como o corre hoje.Grande obra de mobilidade.Mesmo com a crise no Pais ,São Paulo continua seu desenvolvimento.

    Jardel Tales / Responder
    • Jardel dando uma de “Jardel do Viatrólebus”… comentário bem informado e ponderado, sempre disposto a “criticar” a cultura rodoviarista, sobretudo se for uma política pública executada pelos políticos que “acabaram” de entrar no governo do Estado de SP… #sqn… abre a cabeça, rapaz.

      Danilo Leite / (em resposta a Jardel Tales) Responder
  4. Continua se desenvolvendo… a passos de tartaruga… essa obra já devia ter ocorrido a pelo menos 10 anos… ou nasce igual ao rodoanel saturado…

    Alex Sandro / Responder
  5. Bacana, um dos maiores “empecilhos” ao desenvolvimento de São Paulo sempre foi sua barreira natural na serra, obras que venham a trazer ganhos logísticos são ótimas, só lamento que nossas ferrovias ainda estejam relegadas ao segundo plano de tudo e todos, do contrario teríamos mais desenvolvimento ainda.

  6. Legal, porém não e mais que obrigação dele, o que falta e ter visão e fazer ligação com trens regionais, piada.

    Rodrigo Santos / Responder
  7. Bem… eu acho uma péssima iniciativa, que fortalece a logística e transporte baseada em somente 1 alternativa; arromba uma parte da Serra da Mantiqueira só para por mais carro e seus sucedâneos (barracões para operários, moradia precária para as famílias, funilarias e postos de gasolina do inferno)… enfim… falta de criatividade de sobra para uma das regiões economica-academica-tecnologicamente mais dinâmicas da América… Logística feita de maneira imediatista, com contratos bilionários com empreiteiras. Rodovia é intensiva em mão-de-obra não especialziada na construção, sendo que outras alternativas de modal são intensivas na construção e na manutenção.

    Danilo Leite / Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*