Empresas mostram interesse em trem entre Maringá e Londrina

Três consórcios apresentaram proposta para projetos do chamado Trem Pé Vermelho, que deve promover a ligação ferroviária de passageiros entre as regiões metropolitanas de Londrina e Maringá. De acordo com o portal Diario.com, empresas nacionais e internacionais manifestaram interesse.

Existe a possibilidade que o governo Paranaense lance uma Parceria Público Privado (PPP) para construção da ferrovia de mais de 150 quilômetros, que corta 13 cidades e atenda a mais de 36 mil passageiros por dia.

mapa-trem-pe-vermelho

Na proxima etapa do projeto, as propostas serão analisadas pelo Conselho Gestor de Concessões (CGC) até o fim de março. O Governo do Paraná trabalha com a possibilidade de abrir licitação para a contratação do projeto em um ano.

“O Paraná busca uma ferrovia moderna com capacidade para transportar os passageiros com eficiência e segurança. Será um grande eixo de desenvolvimento regional conectando as regiões metropolitanas de Maringá e Londrina”, afirma vice-governadora do Paraná, Cida Borghetti.


Autor: Renato Lobo

Ler todos os posts

Paulistano, Técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

13 Comentários deste post

  1. O Brasil não tem necessidade de Trem Bala, mas bons trens de velocidade média de 100 km/h e mais que suficiente . Já pensaram trajeto entre São Paulo x Campinas em 1hora.

    Jardel Tales / Responder
    • Sim, já existe, se chama Rodovia dos Bandeirantes.
      Para curtas distâncias no estado de SP infelizmente os trens precisam ter uma performance muito elevada. Se eu posso fazer o trajeto SP-Campinas em uma hora de carro e CHEGAR DIRETO NO MEU DESTINO, por que vou pegar um trem que me levará de uma ESTAÇÃO a outra ESTAÇÃO em um hora, para depois ter de me deslocar da estação até o meu destino final dependendo de transporte público ou taxi?? O trem precisa compensar mais que o carro! Para isso, ele teria de fazer o trajeto em no máximo 40 minutos, dando ai uma certa lazeira de 20 minutos para a pessoa se deslocar da estação ao destino final.
      Concordo que não precisa de trem bala, mas a viagem precisa ganhar do carro em distâncias curtas e ser competitiva com o avião em distâncias longas. Se um trem faz uma viagem SP-RJ em 2 horas de trem está pra lá de bom na minha opinião. De ônibus leva no mínimo 5,5hs, e de carro, no mínimo 4,5hs. Logo, se vc consegue fazer em 2 horas está de ótimo tamanho, até mesmo 2,5hs atenderia muito bem. Agora, para distâncias mais curtas, realmente não pode ser no mesmo nível do carro, tem que ser superior, e com uma folga considerável, do contrário, não compensa.

      André de Lima / (em resposta a Jardel Tales) Responder
      • Eu concordo com o Jardel, acredito que para os usuários existem outras variáveis além do tempo de percurso, como por exemplo o preço do deslocamento. Isto é, espera-se que o preço da passagem de trem seja significativamente menor que todos os custos envolvidos com uma viagem de carro particular. Além disso, suponho que um trem de velocidade razoável traga mais concorrência para as empresas de ônibus do que para os motoristas de carro. No fim, quem ganham são os usuários que tem mais opções de escolha de acordo com sua disponibilidade (tempo x dinheiro).
        Claro que um trem de velocidade alta seria uma ótima e nova possibilidade, ou seja, mais opções para o usuário final. Muitas cidades do mundo já dispõe de diversas opções de transporte entre elas de acordo com a demanda (rodovia para carros e ônibus, trem regional, trem de alta velocidade, pontes aéreas). Essas possibilidades acabam se complementando.
        Enfim, ao meu ver, o legal de considerar a princípio trens comuns fazendo essas ligações importantes, é o custo e a tecnologia para implantação. Mas um não anula o outro.

        Neto / (em resposta a André de Lima) Responder
        • Eu acredito que o perfil de quem pegue o TAV seja o mesmo de quem pega a ponte aérea, ou seja, aceita pagar um pouco a mais pela agilidade e conforto. Quem vai de carro ou de ônibus geralmente pode levar mais tempo viajando. O que pode acontecer é ter uma linha auxiliar de trens comuns pra poder atender a essa demanda.

          Gapre / (em resposta a Neto) Responder
      • Mas André eu concordo em partes com vc se levarmos em conta a formula da velocidade média V=E/T onde V= velocidade, E=espaço ou Distancia, e V=velocidade levando em conta que a distancia entre Rio e São Paulo são de + ou – 400km para se fazer esse percurso em 2h como vc disse o trem teria que chegar a uma velocidade de 200km/h V=400km/2h=V200km/h. Acho que pra Deixar de pegar a ponte aérea,um trem teria que fazer em uma velocidade um pouco maior, já que de avião se leva 50 minutos do Rio a São Paulo.E pra bater o avião só o TAV, fora isso não vale a pena um trem, a não ser pra quem não tem pressa de chegar e viaja só pra curti vida, e terá que ter preço acessível se não vai fracassar igual o antigo trem de prata Rio x São Paulo e São paulo X Rio, essa lógica creio eu serve pra todas as cidades do Brasil me corrijam se eu estiver errado. abraços!!!

        MARCELOOLIVEIRA / (em resposta a André de Lima) Responder
        • Considerando que para o avião exige-se no minimo 40 minutos de antecedência e muitas vezes existem filas intermináveis , o trem fazer SP-RJ em duas horas e competitivo com o avião sim. Trens exigem 15 minutos de antecedência e o embarque e desembarque e muito mais rápido. Londres e Paris tem uma ponte aérea movimentadissima tb e TAV deles faz em três horas oq o avião faz em uma e nem por isso deixa de ser competitivo, muito pelo contrário.

          E sobre o TR não precisar ser melhor que o carro, discordo veementemente. Não existe isso do trem regional ter tarifa igual de ônibus esqueçam do contrário seriam necessários muito subsídios para manter a operação e seria insustentável. O preço teria de ser mais alto pode colocar ai no mínimo 30% mais caro. E mesmo assim poderia ganhar do carro na hora de colocar tudo na ponta do lápis. Ele tem que ser mais rápido que o automóvel e viajar a no minimo 140 a 160 por hora, do contrário nem façam porque será dinheiro jogado fora.

          André de Lima / (em resposta a MARCELOOLIVEIRA) Responder
    • Discordo Jardel. Pra o trecho Rio-SP um TAV é necessário sim. Pra outras partes do país até acho que bons trens de velocidade média seriam suficientes, mas pras duas principais metrópoles do país, agilidade é essencial. A ponte aérea Rio-SP está entre as 10 mais usadas do planeta, a maioria dos voos entre as duas cidades sai cheio. Esperando deitado algum dia algum governo concluir essa linha.

      Gapre / (em resposta a Jardel Tales) Responder
  2. Será que sai pelo menos antes do trem que ligaria Campinas à São Paulo?

    Lucas / Responder
  3. Precisa de um trem ligando Foz Do Iguaçu a Curitiba tbm, seria otimo pra minha regiao aqui!!!

    matheus / Responder
  4. Prescisamos de trens em todo o país

    fabiano / Responder
  5. Muito interessante,ah se o narigudo quisesse em SP.

    Rodrigo Santos / Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*