MRS quer prorrogar prazo de concessão

Na semana passada, a empresa MRS protocolou na Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) pedido de ampliação do prazo da concessão de ferrovias nos estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo, em uma malha ferroviária de 1.643 quilômetros.

A MRS assinou contrato de concessão no ano de 1996, com validade até 2026. A empresa pede de forma antecipada, a prorrogação por mais 30 anos. Ou seja, até 2056, sob a justificativas de realizar novos investimentos. Não há prazo para que o governo responda ao pedido da MRS. A empresa transporta carga nos estados, entre elas o minério de ferro.

*Foto: Mafia CTC


Autor: Renato Lobo

Ler todos os posts

Paulistano, Técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

8 Comentários deste post

  1. Bom, desde que, hajam investimentos.
    Investimento pesados, com cronograma, aprovação do governo e etc.

    Alias, desde que façam o FERROANEL.

    Vítor Pereira Gabriel / Responder
  2. Espero muito que esse contrato não seja renovado! Moro em Valinhos e o consigo ver o trecho entre Campinas e Jundiaí. Os trens andam por uma só via porque a segunda via está toda arrebentada, dá pra brincar de quebra-cabeça com os trilhos (sem brincadeira). Todos os fios da catenária que existia foram tirados e os postes estão tortos. Não posso falar sobre os outros lugares operados pela MRS, mas nesse trecho que eu conheço eles cuidam muito mal do patrimônio que já foi público.
    Ademais, se os trens regionais saírem e utilizarem as mesmas vias, acho que a MRS não vai conseguir renovar contrato.

    Vitor / Responder
    • Este é o ponto xará, seria necessário cobrar modernização das vias, inclusive as da CPTM que eles também utilizam.
      Se quer continuar operando, precisam se compromentendo com investimentos, inclusive dando garantias.

      Vítor Pereira Gabriel / (em resposta a Vitor) Responder
  3. Teriam que dar um jeito com o ferroanel ou outra ligação ,dos cargueiros não utilizar os leito da CPTM, mesmo sabendo da importância deles e que a ferrovia herdada pela CPTM ja tinha eles , os cargueiros é um entrave para melhoria do sistema de passageiros ,como a diminuição dos intervalos

    mauri / Responder
  4. Além destes fatores de modernização poderiam exigir pelo menos uma linha regular de passageiros, semelhante o que faz a Vale…………..

    Roberto Araujo / Responder
  5. E nada de trem regional,país de 3 mundo com governo de 10 mundo e triste.

    Rodrigo Santos / Responder
  6. Espero que nunca consiga sua renovação. Todas as concessionárias abandonaram a malha paulista, ex FEPASA a sua própria sorte, estações lindíssimas, material rodante, eletrificação, e via permanente esquecidos no meio do mato!!! Dinheiro público, história, suor e trabalho de vidas dos ferroviários de verdade sendo maçaricados, demolidos, pela ganância de sucateiros, drogados e ladrões, com anuência das próprias concessionárias.

    Fabio Etchao / Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*