Por dentro da Linha 4-Amarela – CCO

Na semana em que a Linha 4-Amarela completa 3 anos de operação plena (com as seis estações funcionando no horário integral), o portal Via Trolebus foi conferir os bastidores da linha metroviária mais jovem do Metrô  no pátio Vila Sonia, onde esta situada a ViaQuatro, empresa privada que administra o ramal, que é o mais moderno da América Latina. Os blogueiros Renato Lobo e Marcelo Santos estiveram no sábado (11 de Outubro) juntamente com Rafael Narchi, que colaborou com imagens.

O contrato com a ViaQuatro foi o primeiro de Parceria Público-Privada assinado no País. A concessionária já investiu US$ 450 milhões entre sistemas, equipamentos e trens. São 14 composições (84 carros) para a primeira fase do projeto e 15 (90 carros) para a segunda fase. Ao longo dos 30 anos de operação, a ViaQuatro investirá mais de US$ 2 bilhões na linha.

CCO

Na primeira postagem da série vamos mostrar o CCO (Centro de Controle Operacional) da empresa, que fica na Vila Sônia e é responsável por gerir todo o sistema da linha. Este centro é o cérebro da tecnologia driverless, que permite a operação automática, sem a necessidade de condutor. Por ele é possível programar a velocidade e o intervalo dos trens de acordo com a necessidade, o número de viagens, o tempo de abertura das portas e incluir mais trens na linha, quando preciso.

Imagem de Rafael Narchi

Imagem de Rafael Narchi

Durante a visita, técnicos da empresa nos explicaram que a tecnologia empregada na sinalização dos trens é o CBTC (Controle de Trens Baseado em Comunicação). Trata-se do sistema mais moderno do mundo, que neste caso foi fabricado pela Siemens. Somado este apanhado de sistemas, hoje o ramal amarelo tem um índice de cumprimentos de viagens na ordem de 99,75% das viagens programadas.

Imagem de Rafael Narchi

Imagem de Rafael Narchi

Outro fator importante em que os funcionários fizeram questão de nos mostrar é em relação a segurança: Mais de 700 câmeras acompanham, em tempo real, o movimento em toda a linha amarela, no interior dos trens, nas estações e no pátio de manutenção e estacionamento.

Imagem de Rafael Narchi

Imagem de Rafael Narchi

Manutenção

Durante a semana nos horários de pico, dos 14 trens que compõe a frota da linha, 13 vão para a operação. Um dele fica na manutenção preventiva, como de praxe em todo sistema metroviário.

Imagem de Rafael Narchi

Imagem de Rafael Narchi

Máquina de lavar trens

Também é feito no patio Vila Sônia a lavagem dos trens, já com água de reuso afim de haver desperdício em tempos de seca. Semiautomática, a máquina funciona com ciclos pré-definidos: lavagem do trem, aplicação de shampoo e desengraxante e enxágue. O tempo médio para a lavagem do trem é de seis minutos. Já a lavagem da máscara (parte frontal), que é manual, dura cerca de 40 minutos. Cada um dos ciclos consome 3 mil litros de água. Parte dela é tratada com produtos químicos e é reciclada. Assim, a lavagem utiliza água de reuso.

Imagem de Digna Imagem/Clóvis Ferreira

Imagem de Digna Imagem/Clóvis Ferreira

Frenagem regenerativa

Os trens da linha 4-Amarela possuem um sistema que devolve a energia gerada pela frenagem à catenária (sistema de distribuição e alimentação elétrica) e com isso pode ser reutilizada por outras composições. Na chamada frenagem regenerativa, que ocorre quando as composições circulam entre 10 km/h e 80 km/h, os motores de tração funcionam como geradores.

Sendo assim, se por ventura houver outro trem na mesma região, ele pode utilizar a energia produzida por esse sistema. De acordo com os técnicos da empresa, o consumo desta energia gerada pelo sistema de frenagem alcança 1.350 MWh/mês. Essa energia equivale ao consumo de quase 7 mil residências ao longo do mês considerando o consumo médio de 200 KWh por mês. Estudos feitos pela ViaQuatro apontam que aproximadamente 45% dessa energia consegue ser aproveitada pelos trens.

Imagem de Digna Imagem/Clóvis Ferreira Frenagem regenerativa

Imagem de Digna Imagem/Clóvis Ferreira


Autor: Renato Lobo

Ler todos os posts

Paulistano, Técnico em Transportes, Ciclista, apaixonado pelo tema da Mobilidade, é o criador do Portal Via Trolebus.

22 Comentários deste post

  1. Muito bom sabermos que pensaram no reuso da água, e aproveitamento de energia.

    Denise / Responder
  2. Parabéns pela reportagem pessoal !! E parabéns à ViaQuatro, pois as falhas são mínimas se comparadas às demais linhas.

    Juliano Jorge / Responder
  3. Matéria excelente, linha 4 é fenomenal, agora gostaria de saber se a CPTM tem planos de comprar uma maquina para lavar os trens também, porque é um nojo os antigos e os novos

    André Felipe / Responder
  4. Parabens aos envolvidos na materia!

    Nelson / Responder
  5. Via Trólebus sem dúvida um dos melhores portais sobre mobilidade da internet brasileira. Matérias sempre interessantes.

  6. parabéns pela matéria caro Renato Lobo, como sempre estamos atualizando tudo sobre mobilidade, abraços

    galesitransportes / Responder
  7. Parabéns pela Matéria!

    Gilson de Azevedo / Responder
  8. Matéria fantástica, meus parabéns.

    Leonardo Souza / Responder
  9. Parabéns pela ótima matéria!
    Bem interessante o CCO da Via4.
    E a preocupação com reutilização da água e de economia de energia através da Frenagem Regenerativa.

    Alex França / Responder
  10. […] ultima postagem da série especial sobre os bastidores da Linha 4-Amarela, falamos sobre o CCO (Centro de Controle Operacional) da ViaQuatro que é responsável pela operação do sistema, além de abrigar a manutenção dos 14 […]

  11. Parabéns Via Trolebus. A reportagem conseguiu mostrar de forma resumida nosso dia-a-dia no CCO da Linha 4. Parabéns.

    Junior Rocha / Responder
  12. Tenho orgulho de trabalhar no Grupo CCR

    Marcus Paulo Chinelato / Responder
  13. AGORA POSTA UMA MATÉRIA COM O LUCRO DO CONSÓRCIO VIAQAUTRO, O QUANTO GANHAM COM ESTA LINHA, O QUANTO O GOVERNO DO ESTADO INVESTIU, O QUANTO O GOVERNO DO ESTADO GASTA PARA GARANTIR O LUCRO E O QUE PODERIA SER FEITO EM INVESTIMENTO REAL COM O LUCRO EXORBITANTE QUE É DESTINADO A ESSE CONGLOMERADO. EU E VOCE, COMO CONTRIBUINTE DO ESTADO DE SP, TEMOS O DIREITO DE SABER.

    ANDRE / Responder
  14. Moro em Santa Catarina e preciso ir à Campinas e Diadema.Tem metro para me deslocar de SP até esses locais?é mais fácil chegar em Campinas -Viracopos e ir pra Diadema ,ou paro em Congonhas,Diadema e depois Campinas? pode me ajudar ?grata

    sandra / Responder
  15. Bacana.

    Januário / Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*